Tag Livros | Stoner

2015-784472939-capa-radiolondres_stoner_johnwiliams_20150121

Sem dúvida, esta foi uma das minhas melhores leituras de 2016. E que grata surpresa! Minha vida de leitora vale a pena cada vez que me deparo com um grande livro que me faz sair da zona de conforto, uma leitura que eu não faria voluntariamente. Foi esta a razão que me fez assinar o clube de livros. E um acerto como Stoner me mostra que a assinatura valeu a pena.

O mais interessante é que, à primeira vista, trata-se de uma história que poderia ser encarada como “morna”, protagonizada por um personagem que não tem, em si, as qualidades notáveis de um grande protagonista. Mas a magia de Stoner está na maneira como Williams estrutura e conta a história. O personagem professor universitário que leciona Literatura é extremamente verossímil, justamente pelo fato de não tentar esconder suas fraquezas e de viver, bem ou mal, com o peso de suas falhas.

A história de Stoner é simples, porém contada de maneira elegante, bela, poética em vários momentos. Me lembrou Henry James no excelente Pelos Olhos de Maisie, com um enredo aparentemente simples, mas com uma escrita poderosa. Stoner desenvolve com o leitor uma relação de cumplicidade, de amor e de compadecimento. É um livro que também fala sobre livros e que tem a literatura como um meio e um fim. Maravilhoso.

“Mas as palavras que disseram pareciam a encenação de um espetáculo que tinham ensaiado repetidamente na privacidade de suas consciências. Revelaram essa consciência através da gramática, progredindo do presente – ‘somos felizes, não?’ – para o passado – “Nós fomos felizes… mais felizes do que qualquer um, acho” – até o inevitável futuro.” (pág. 234)

A máxima de Stoner é muito simples: buscar a felicidade na medida de suas possibilidades, porém sem abrir mão de seus princípios. Stoner não tenta ser o melhor marido do mundo, nem o melhor pai, nem o melhor professor; no entanto, busca ser feliz em cada um desses papéis, ainda que tenha consciência dessa impossibilidade.

A leitura de Stoner foi muito prazerosa para mim, porque o livro todo deixa evidente o cuidado que John Williams teve com o “fazer literário” de fato. É uma história extremamente bem executada, é um trabalho que trata a Literatura com muito respeito. Não sei se estou conseguindo me expressar claramente aqui, mas o fato é que Stoner é um grande representante da arte literária. E só por isso já merece ser lido por toda pessoa que ama os livros e tudo aquilo o que eles representam. Sem pieguice, gente, é arte no sentido claro da palavra.

Stoner
John Williams
Rádio Londres
2015 – 2ª edição
314 páginas

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s