Desafio Literário | Dezembro: Poesia

Sinopse

Pablo Neruda deixou, ao morrer, oito livros inéditos de poesia, escritos quase simultaneamente: O coração amarelo, Livro das perguntas, ElegiaA rosa separadaJardim de inverno2.000, O mar e os sinos e Defeitos escolhidos, publicados pela L&PM Editores com traduções cuidadas, feitas por poetas brasileiros. Nos poemas de O coração amarelo estão presentes os temas preferidos do autor – amor, amizade, reminiscência do passado. Mas percebe-se também, nestes versos, uma nota leve, bem-humorada e melancólica, como uma despedida de uma grande vida ou um prenúncio dos negros tempos da ditadura pela qual seu país, o Chile, passaria. 

No final da vida e no ápice do sentimento de compaixão pela humanidade, Neruda manteve a sonoridade, a maestria de linguagem e o lirismo que o alçaram a um dos maiores nomes da poesia do século XX e que fizeram dele um dos laureados pelo Prêmio Nobel (1971) mais populares já visto.

A poesia é, definitivamente, um gênero literário fora da minha zona de conforto. O mais estranho é que só notei isso recentemente, arrumando a minha estante. Não tenho muitos livros de poesia, nem me dedico muito a esse tipo de leitura. Sem dúvida, isso é algo que preciso modificar em minha prática literária.

Mesmo assim, Neruda é um de meus poetas prediletos e O Coração Amarelo é um belo livro. Versátil, capaz de provocar no leitor as mais diversas sensações, do encanto à perplexidade. Neruda é um desses poetas que conseguiam transformar em poesia qualquer coisa que quisesse. Até mesmo política.

 “[…]
Em Santiago as eleições
me expulsaram da cidade:
todos me cuspiam na cara
e a julgar pelos jornalistas
no céu estavam os justos
e na rua os assassinos. […]”  (Desastres, pág.59)

 A faceta engajada de sua poesia se manifesta no desconforto provocado por sua carreira diplomática em episódios como o da Guerra Civil Espanhola de 1936 e à compreensão amarga de uma vida sem ilusões. Já sua poética se mostra de forma marcante em suas produções românticas, repletas de riqueza estética: 

“[…]
Passeando por uma laranja
eu passei mais de uma vida
repetindo o globo terrestre
 a geografia e a ambrosia –
os jogos cor de jacinto
e um cheiro branco de mulher
como as flores de farinha. […]”  (Filosofia, pág.27)

Eu li e reli os poemas do livro e confesso que vários deles ainda me guardam segredos. Portanto, outras releituras ainda virão. Não tenho dúvidas de que Neruda ainda tem muito a me dizer. Minha sorte é que ainda tenho mais dois volumes de suas poesias na minha estante, esperando por mim.

Nota: 5
(de 1 a 5, sendo: 1 – Péssimo; 2 – Ruim; 3 – Regular; 4 – Bom; 5 – Excelente)

Este post faz parte da blogagem coletiva Desafio Literário 2012 [v. lista de livros agendados]

Blog do Desafio Literário 2012

O Coração Amarelo
Pablo Neruda
L&PM Pocket
2007
88 páginas

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s