Do jogo de tabuleiro para o cinema: Os Sete Suspeitos (Clue)

Eu descobri este filme por um acaso. Fui tomar café com uma amiga, que me pediu para devolver esse DVD para uma outra amiga em comum. Nesse “trajeto”, é claro, aproveitei para assisti-lo, pois fiquei especialmente empolgada ao constatar que ele é uma adaptação para o cinema do jogo “Detetive”, um dos meus prediletos!

Os Sete Suspeitos (Clue, no original) traz uma atmosfera inevitável de brincadeira, uma trilha sonora de filme B, e um ritmo que é uma delícia! Impossível não se divertir assistindo (como eu me diverti jogando quando criança).

O enredo gira em torno de um jantar elegante em uma mansão de aspecto um tanto tenebroso, para o qual foram chamadas sete pessoas que têm em comum o fato de serem todas elas chantageadas pela mesma pessoa. Durante a noite, a descoberta de um fato curioso aumenta o mistério: todos os envolvidos no jantar – cozinheira, copeira, mordomo – também participam direta ou indiretamente do esquema das chantagens.

Com o objetivo de se safar das implicações que mancham as reputações de cada convidado (que usam pseudônimos determinados pelo anfitrião da noite – o próprio chantageador), tem início uma série de discussões sobre o que fazer com as provas apresentadas pelo mordomo Wadsworth (Tim Curry) contra cada participante.

A tensão aumenta os desentendimentos entre eles, uma vez que os chantageados são avisados de que a polícia, a pedido de Wadsworth, está a caminho da mansão. Para dificultar ainda mais o cenário, os convidados são envolvidos em uma delicada situação que culmina com o assassinato do chantageador. Agora, é preciso descobrir o assassino, livrar-se das provas e decidir o que contar à polícia.

Tim Curry como Wadsworth (no centro): neste filme, o mordomo dá as cartas!

Aqui vale ressaltar que os perfis mais do que diferentes de cada convidado resultam em situações inusitadas – valorizadas principalmente pelas belas atuações de Tim Curry (Wadsworth) e Eileen Brennan (Sra. Peacock) – e que têm como principal objetivo dificultar a tomada de uma decisão coletiva (aliás, as pessoas são capazes de qualquer coisa para se eximir da culpa, não é mesmo?). Ao longo da noite, outros assassinatos vão ocorrendo, enrolando ainda mais o fio da trama.

O interessante é observar as questões importantes subjacentes ao clima de comédia de Os Sete Suspeitos. Assuntos como o homossexualismo, o comunismo, o macarthismo, e os segredos de Estado são o motor que alavanca as chantagens entre os envolvidos e os conecta, estabelecendo relações que mostram a verdadeira natureza do ser humano.

Os três finais-surpresa editados para o DVD tornam tudo ainda mais divertido. Na Wikipédia, há um artigo sobre o filme que diz que, em sua versão para o teatro, o final encenado em cada cidade é escolhido de maneira aleatória. Já no DVD, posso dizer que as duas primeiras resoluções apresentadas são previsíveis, mas a terceira vale a pena assistir. Além de mais engenhosa, é mais divertida também. Um final bem condizente com a ideia do filme.

Durante a redação deste post, vi algumas notícias na internet sobre a produção de um remake pelos estúdios da Universal com data de estreia prevista para 2013. Será?

Ficha técnica
Os Sete Suspeitos (Clue)
Direção: Jonathan Lynn
Ano: 1985
País: EUA
Gênero: Comédia
Duração: 96 minutos
Elenco: Eileen Brennan, (Sra. Peacock), Tim Curry (Wadsworth), Madeline Kahn (Sra. White), Christopher Lloyd (Professor Plum), Michael McKean (Mr. Green), Martin Mull (Coronel Mustard), Lesley Ann Warren (Miss Scarlet), Colleen Camp (Yvette), Lee Ving (Sr. Boddy)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s