TV | Supernatural: mistério, suspense e… humor (Parte II)

Rufus, Sam, Dean e Bobby no episódio em homenagem a Agatha Christie
Rufus, Sam, Dean e Bobby no episódio em homenagem a Agatha Christie

Na sexta temporada, os irmãos Dean e Sam Winchester, acompanhados dos caçadores veteranos Bobby e Rufus, envolveram-se em uma ótima trama de suspense em uma fábrica de conservas com a incumbência de investigar uma série de mortes envolvendo funcionários do local. O nome do episódio já entrega a homenagem: “… And then there were none”. A Rainha do Crime Agatha Christie – por meio do título de sua obra mais famosa – foi lembrada no mais célebre “estilo Winchester”, com tomadas rápidas, cenas bem cortadas, assassinatos e sumiço de personagens, além de humor na dose certa, é claro.

Ainda nesta mesma temporada, Castiel personifica o homem que queria ser rei, de Rudyard Kipling, só que o reino em questão não é um pedaço de terra perdido no Oriente Médio, como na história original, mas o céu (The Man Who Would Be a King – s.6ep.20). Através de alianças escusas, o anjo que antes era o mais obediente soldado de Deus, tenta pegar as almas presas no purgatório para aumentar o seu exército e garantir sua supremacia, vencendo a guerra em curso no céu desde o “sumiço” de Deus. Assim como na literatura, Castiel é movido pela ambição do comando e a sede de unificar sob a sua liderança o que um dia já foi bom e pacífico.

Já em Let it Bleed (s.6ep.21), penúltimo episódio da sexta temporada, o argumento de Supernatural ganha um reforço e tanto: HP Lovecraft, famoso escritor norte-americano de narrativas góticas e de terror.  Os roteiristas da série pegaram carona no dia 10 de março de 1937, data na qual o escritor de fato se internou em um hospital psiquiátrico onde morreu cinco dias depois, para ficcionalizar uma “festa-culto de magia negra” em sua casa, ocasião na qual um portal para outra dimensão teria sido aberto em decorrência desse ritual. O choque teria sido tão grande, e a visão oferecida tão aterradora, que este teria sido o motivo pelo qual Lovecraft teria se refugiado em um hospital psiquiátrico. A ideia bem amarrada, misturando informações reais e fantasiosas, deu um toque cult à série, vinculando-a a esses nomes tão respeitados da literatura.

Nesta sétima temporada, os irmãos Winchester depararam-se com criaturas aparentemente indestrutíveis: os leviatãs. Referências sobre esse tipo de monstro mitológico podem ser encontradas desde a Bíblia, no Livro de Jó, até nos escritos do filósofo político Thomas Hobbes. Como esses primeiros episódios da temporada ainda estão fazendo certo mistério em torno dos leviatãs, só se sabe que são seres muito antigos, criados por Deus antes do homem e confinados no purgatório, de onde teriam escapado com a abertura do portal na temporada anterior. Resta saber qual será o papel exato dos leviatãs na trama de Supernatural daqui para frente e se Dean e Sam conseguirão sobreviver a eles.

Anúncios

Um comentário sobre “TV | Supernatural: mistério, suspense e… humor (Parte II)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s