O Reino Proibido

Assisti, no último fim de semana, ao encontro de Jackie Chan e Jet Li nas telas: O Reino Proibido. Confesso que, desde que a Karina me falou desse filme, eu havia ficado bem curiosa, porque gosto de ambos (mais do Chan, na verdade) e também porque gosto de filmes de ação e luta.

 Primeiro, vale ressaltar o valor estético do filme. A la Zhang Yimou e Ang Lee, com chineses voando, roupas coloridas e esvoaçantes, O Reino Proibido emprega a mesma fórmula, que agrada aos olhos, mas, além disso, não acrescenta muita coisa, infelizmente.

Acho que a equipe técnica ficou tão preocupada em não ofender os egos envolvidos, que esqueceu de caprichar mais no enredo.  Se Jet Li interpreta o Rei Macaco, Jackie Chan não pode ficar atrás e encarna um monge imortal. Aliás, o combate de Chan e Li é, logicamente, um dos pontos mais altos do filme. Mas essa questão de ego é de fato engraçada, pois até o “J” que forma o nome de ambos é compartilhado nos créditos, de forma que os nomes dos dois astros aparecem juntos na tela e nos pôsteres.

Em linhas gerais, a trama é batida. Há um vilão que deseja a vida eterna (buscada em peregrinação pelo Rei Macaco já na famosa lenda chinesa) e, para fazer o gancho com os dias atuais, um rapazinho americano no estilo das produções americanas dos anos 80/90 (Goonies, Os Garotos Perdidos, etc.) apaixonado por kung fu, vidrado em filmes do gênero e saco de pancadas da gangue do bairro. Quando o menino viaja no tempo e vai parar na China antiga, há o encontro dos personagens, que precisam devolver o bastão perdido do Rei Macaco para restabelecer o equilíbrio de forças no reino, dominado pelo déspota Guerreiro de Jade, o cara que quer viver eternamente.

Há a mocinha para completar o grupo e, uma vez reunido todo o grupo, a coisa fica batida, infelizmente. Mas o filme é legal, despretensioso e divertido – com Jackie Chan, não poderia ser diferente. Uma coisa boa é que O Reino Proibido traz à tona (mesmo que de forma torta, mas fazer o quê?) um pouco da história da China lendária por meio do Rei Macaco, que inspirou, inclusive, o livro Jornada ao Oeste, já publicado no Brasil. Vale a pesquisa sobre o assunto.

Serviço
O Reino Proibido
Gênero: Aventura
Duração: 1h53
Lançamento: 2008
Direção: Rob Minkoff

Para saber mais sobre a lenda do Rei Macaco, clique aqui.

Para ler sobre Jornada ao Oeste, clique aqui.

Anúncios

3 comentários sobre “O Reino Proibido

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s