Ágora – Clube de Leitura

Ágora

Minha amiga Patrícia me convidou para integrar um clube de leitura. Adorei a ideia! Depois de algumas discussões sobre nomes, regras e livros, posso dizer que sou uma espécie de sócia fundadora do Ágora – Clube de Leitura (ó, que orgulho!).

Sugeri o nome “ágora” pensando na herança da cultura grega. Ágora era o nome das espécies de praças públicas onde eram discutidos assuntos importantes das sociedades das cidades-estados. Pela questão da troca de ideias e da interação, achei que poderia ficar legal para o clube. Aprovaram!

Organizaremos reuniões periódicas para a discussão dos livros selecionados. Nosso primeiro desafio – e que desafio! – é nada mais, nada menos que O Evangelho Segundo Jesus Cristo, de José Saramago.

O primeiro desafio

Comecei a leitura nesta semana. Eu sempre me impressiono com a maneira extremamente clara com a qual Saramago consegue expor as ideias e conduzir o enredo. Tive a mesma impressão quando li O Ensaio sobre Cegueira.

A leitura está fluindo que é uma beleza. Uma vez eu li o Evangelho de Mateus, do Novo Testamento da Bíblia. Acho que isso está me ajudando agora, porque estou conseguindo perceber as diferenças entre a “versão oficial” e a “versão de Saramago”.

Só um exemplo para começar: enquanto a Bíblia bate na tecla de que Jesus foi concebido pelo Espírito Santo, Saramago justifica o nascimento do Filho de Deus pela comum relação carnal de José e Maria após o casamento – ou seja, algo totalmente normal.

Algumas citações ao longo do livro concordam com a postura real do Saramago escritor, que é ateu. Entretanto, eu – que me considero uma pessoa cristã – sou forçada a reconhecer que ele argumenta muitíssimo bem suas idéias. Eis um trecho no qual ele comenta o antigo costume de se sacrificar animais após o nascimento da criança e o sangramento da mãe pós-gravidez.

Uma alma qualquer, que nem precisará ser santa, das vulgares, terá dificuldade de entender como poderá Deus sentir-se feliz em meio de tal carnificina, sendo, como diz que é, pai dos homens e das bestas. (p. 79)

Concordo com ele. A “demonização/inferiorização” da mulher e o questionamento da fé são pontos que também rendem muitas reflexões. Mas outros surgirão ao longo da leitura, estou certa disso.

Continuarei a escrever sobre isso nos próximos dias…

Anúncios

4 comentários sobre “Ágora – Clube de Leitura

  1. Pois é, com o Concílio de Nicéia a bíblia que temos acesso hoje é nada mais do que aquilo que acharam legal de ser feito, logo todos os textos que mostravam um Jesus homem de carne e osso, normal, questionando a política foram deixados de lado. Por isso, nos assustamos ao ler e ver um Jesus humano e não tão divino.
    Gostei desse tak Saramago, acho que vou ler alguma coisa dele.

    Kisses

  2. Ah, discordo da parte de Saramago ser uma leitura clara! Não sei se foi por ser o primeiro livro dele que eu encaro, mas tropecei “n” vezes nessa forma “paredão” dele de escrever: um texto quadrado, sem divisão das falas que não seja a letra maiúscula e em um folêgo só! E, apesar disso, a leitura foi bem lenta pra mim!

    Mas eu gostei! Bastante, mesmo com essa dificuldade inicial (depois da página 100 me acostumei hahaha). E acho que farei mais perguntas do que comentários no encontro, viu?! haha

    Vamos ver qual será o resultado no sábado!!

    Beijoss

  3. É, Karina, o Saramago utiliza o discurso indireto livre, daí as falas todas misturadas. Agora a economia na pontuação é estilo mesmo, mas, como vc mesma disse, a gente se acostuma, né!
    E aposto que vc vai acabar, sim, comentando bastante coisa no sábado! Beijo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s